imagem representativa de uma pessoa levantando dados para definir os indicadores de impacto
Empreendedorismo na prática,  Impacto Social

Indicadores de impacto: como medir seu negócio social?

Definir e medir os indicadores de impacto causam certa apreensão principalmente em que está iniciando um negócio, não é mesmo? Empreender é um processo que necessita dedicação, como vemos nos passos do Caminho Empreendedor. Quando falamos em criar receita e causar um impacto positivo social ou ambiental, esse desafio é ainda maior.

Para tornar mais fácil o processo, há etapas a serem seguidas. Nesse post vamos ver a definição de indicadores, conhecer as principais características e o passo a passo do processo de medição de impacto.

Mas e o que são indicadores de impacto?

São as referências quantitativas e qualitativas que mostram se os objetivos estratégicos do seu negócio foram alcançados.

Trata-se de observar de forma disciplinada os efeitos/mudanças em uma realidade social gerados pela ação do seu negócio.

A intencionalidade é o ponto de partida para a medição de impacto, porque é dela que sai a teoria da mudança. É da sua Teoria que nascerão os indicadores! Construa-a de forma colaborativa com seus stakeholders para maior embasamento na realidade. Por exemplo, não adianta dizer que quer acabar com a fome no mundo se o projeto abrange uma comunidade específica dentro de uma realidade distinta.

O mais importante é a avaliação de impacto social estar entranhada no coração do negócio, falando a mesma linguagem e servindo como um guia para a tomada de decisão e a condução das atividades durante todo o processo de validação e execução da empresa.

Ao definir os indicadores há algumas características principais para levar em consideração:

4 Características dos indicadores de impacto

1 – Ser simples. Imagina ter um indicador que dependa de uma programação envolvendo inteligência artificial se o seu negócio é todo offline? Busque indicadores de fácil entendimento e execução.

2 – Comparativos. Uma maneira simples de definir indicadores é a comparação entre as realidades em um determinado tempo. Por exemplo, quantas pessoas saíram da linha da pobreza em relação ao mesmo período do ano anterior.
3 – Confiáveis. O amigo do vizinho disse que viu alguém do outro bairro que passou a usar o seu produto? Melhor não usar esse dado quando for medir o impacto. Defina indicadores que você possa avaliar por métodos confiáveis

4 – De baixo custo. Tirar a ideia do papel e colocar o negócio funcionar já é uma luta, a avaliação de impacto não pode trazer mais dificuldade nesse cenário já desafiador. Procure meios como pesquisa, entrevistas, relatos, a diferença entre dados públicos e aí por diante.

Ficou mais claro? Vamos ver alguns exemplos:

  • A Me Salva! que oferece cursinho online e aulas de reforço, mede a média de pontos do ENEM de quem estuda com eles em comparação à média geral do ENEM. Em 2017 essa diferença foi de 145 pontos (668 pontos de quem fez Me Salva! versus 523 de quem não fez).
  • O Moradigna, que faz reformas expressas de baixo custo, mede tanto o número de reformas realizadas quanto o número de pessoas impactadas por elas. Simples, certo?

Mas e por que medir o impacto da empresa? Ainda mais se você sabe que ela está causando um bem a uma realidade específica?

Além de reunir informações estratégicas sobre o negócio para poder traçar o melhor caminho, ao avaliar o impacto o empreendedor também legitima o negócio como social, fortalecendo a transparência e o acordo com a responsabilidade perante possíveis investidores. Ainda tem a oportunidade de diferenciar o negócio, mostrando todo o valor que ele gera à sociedade. 😉

Quer saber mais sobre o que são Negócios de Impacto Social? Juliano Trevizan, consultor da Semente, fala mais sobre isso nesse post.

E para saber o que realmente está mudando é preciso medir. A avaliação de impacto tem sempre o mesmo objetivo: quantificar as mudanças na população ou no território causadas pela intervenção do seu negócio.

A pergunta que é preciso fazer é:

O que teria acontecido com aquela pessoa ou território caso o meu negócio não tivesse existido?
A diferença entre o que teria acontecido e o que aconteceu é o seu impacto.

Conhecidos os conceitos, vamos ver na prática o passo a passo de como planejar uma medição de impacto.

Processo de medição

Há oito etapas mapeadas no processo de medição, sendo a primeira:

1 – Delimitação do setor de impacto. Essa fase está presente no primeiro estágio do Caminho Empreendedor, o explorar, com o início do canvas e a proposta única de valor.

Dica: A ONU definiu 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e tem 169 metas a serem seguidas até 2020. Não perca de vista os objetivos porque eles norteiam toda a agenda de negócios de impacto do mundo.

representação dos 17 quadros com os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU para ajudar a definir os indicadores de impacto

Quando estudamos nosso público ao preencher o canvas, definimos o setor de atuação do projeto e, a partir daí, conseguimos tirar os indicadores necessários para essa medição.

2 – A segunda etapa é fazer benchmarking, que nada mais é do que aprender com os outros como é o melhor funcionamento do mercado. Quando aplicamos os testes de mercado para entender o segmento, a realidade e o potencial do mercado de atuação, começamos a desenhar os processos existentes e a aprender com os erros e acertos do que foi feito até hoje.

3- Construir a Teoria da Mudança, que é a descrição de como o negócio é pensado para alcançar os objetivos desejados. É o mapa do seu objetivo! Sendo assim, a teoria da mudança é a chave de qualquer medição de impacto ao descrever a lógica de como e por quê a solução irá alcançar esses resultados.

4 – Escolher e listar indicadores. Com a delimitação de impacto, o benchmarking e a teoria da mudança feitas, já é possível definir, escrever e deixar para conhecimento de toda a equipe, quais são os indicadores que serão usados. Defina no máximo três indicadores para toda a medição não fugir do controle ou ficar muito irreal de executar.

No caso da Geekie, por exemplo, – a startup de impacto social que leva aprendizado personalizado para alunos do ensino médio -, a meta é impactar 20 milhões de pessoas por ano e expandir o uso da solução para outros países. Os indicadores de impacto deles podem ser:
– A quantidade de alunos usando a plataforma,
– A quantidade de instituições de ensino e entidades que contratam a solução,
– E o aumento da média escolar dos alunos que utilizam a Geekie.

5 e 6 – A quinta e sexta etapa falam sobre as métricas dos indicadores. Há duas formas de defini-las: por identificação dos grupos tratado e controle a serem utilizados na medição; e por amostragem. Ambas são soluções para tornar a medição mais simples de negócios não digitais que tem meios de quantificar o impacto como um todo. A Geekie, por ser uma plataforma digital, consegue reunir os dados em números absolutos, de estudantes e contratos fechados.

Mas e se a mudança é mais subjetiva como a do Banco Pérola que oferece microcrédito a jovens de comunidades periféricas? Nesse caso, primeiro defini-se qual o recorte de clientes irá ser acompanhado com mais proximidade. Por exemplo, o negócio atua em 5 bairros com características semelhantes, é possível escolher apenas uma para colher os dados de antes e depois da sua solução existir no local.

Escolhida uma comunidade em específica, que tenha clientes com o maior número de características em comum, é possível fazer uma pesquisa e medir o impacto causado por amostragem.

7 – Descrição de como se dará a medição. Serão coletados dados mensais? Será preciso pesquisa exploratória? É preciso incluir na rotina de atividades visitas periódicas e coleta de dados para a análise futura.

8 – Na última etapa temos o indicativo de que o ciclo recomeça e será preciso organizar um novo cronograma para o próximo recorte de tempo que será medido, incluindo dados que ficaram de fora ou reformulando os indicativos.

 

 

Plano de avaliação

O plano de avaliação de impacto é a peça de gestão em que estará expresso as decisões da empresa e que indica o que será feito e quando. Esse documento irá guiar os gestores envolvidos a viabilizar a medição, sem esquecer de nenhum ponto.

Pontos essenciais para um plano de avaliação:

– O foco da avaliação, o objetivo da medição de impacto,
– Os indicadores,
– As fontes de informação,
– Quais as métricas para os indicadores,
– O recorte de tempo e lugar em que os dados serão coletados,
– Como os dados serão avaliados, quantitativamente ou qualitativamente,
– Quem é o responsável pelo projeto,
– Os dados e análises anteriores,
– E se há necessidade de apoio técnico e financeiro externo.

Ter esse plano desenhado também é um importante passo no relacionamento com parceiros e possíveis investidores. Mostra transparência e seriedade sobre como o negócio irá impactar.

Vimos aqui que os indicadores devem permear toda a vida do negócio de impacto e que, através de passos simples, é possível medí-los com cada vez mais qualidade. Se você chegou até aqui, nos conte, quais são os seus indicadores de impacto?

Alline da Semente Negócios

 

Alline Goulart é gestora de comunicação na Semente.

 

 

Quer saber mais sobre os nossos programas? Entre em contato com um dos nossos consultores.

A Semente atua no desenvolvimento de negócios inovadores desde 2011, adquirindo grande experiência em desenvolver comunidades e ecossistemas empreendedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *